Páginas

quarta-feira, junho 22, 2011

ROMA

Cenografia de mármore. "Demolições e reconstruções nas obras arquitetônicas dos imperadores romanos remetem a um confisco da memória, o poder como embelezamento que se justifica pela grandiosidade e racionalidade". Café, tenho de colocar água nas plantas, não liguei para meu pai, aula hoje sobre Pirandello, máquinas-máscaras, "Estão construindo três torres imensas na rua Paim, onde vai andar toda essa gente, a rua é estreita", a amiga disse, entre o formalismo russo e a destruição pelos "representantes". Pelo parque, "e ela deu a bunda pra você", mulher se maquiando, lembro Bonassi no Youtube, "Em São paulo, tudo desaparece", metrô, papel, "Prefeito desapropria área verde da Augusta para mercado imobiliário", está me perseguindo, "a filha pede ao diretor para ser sua peça", Brigadeiro, viaduto, “que obra é essa”,”tamo tirando os barraco que tinha aqui”, “e para onde eles foram”,“não sei”, cai a noite, filme, uma casa, escavadeira, mãe, lavar as mãos. "Estão fazendo isso com todos". Onde está o fora, o autor escreve um texto, aula de Sant´Ana, banho, "veja esse imeil: Associação comemora - Não passou! Valeu ir todo dia no Plenário - o rei resolveu mudar obras da Operação sem consultar a população e pretendia fazer isso sem alterar a lei", território vazio, nada (não) nada, tenho de colocar água nas plantas, não liguei para meu pai, Roma para dormir, a queda muros ruas desertas, aula amanhã sobre Barthes.

Afonso Lima

Anne

Meu nome é Anne, moro atrás de um escritório. Meu nome é Anne, fui criada na década de 40, no Quarteirão Verde, desapropriado para instalação de equipamentos públicos. Meu nome é Anne, nasci quando meu criador recebeu a verba do prêmio de quadrinhos, fico na Biblioteca. Meu nome é Anne, entrevistamos agora o senhor Prefeito. Ontem foi tudo muito tenso, comemos em silêncio, estamos uma pilha de nervos. A Prefeitura tem projeto para vender meu espaço para condomínios de luxo, mesmo com dinheiro em caixa. Meu criador está triste, foi selecionado mas não recebeu o dinheiro. Ontem ouvimos o homem que vende batatas falando alto, ele pode suspeitar. A verba da cultura parece esmola, teríamos de pedir às empresas, como se fossem mecenas europeus! Eu nasci pelas mãos de Monteiro Lobato, formei gerações de leitores no bairro. São oito pessoas na Casa dos Fundos. Mais de 10 mil assinaturas de moradores já foram recolhidas. Eu beijei ele. No "quarteirão" funcionam diversos equipamentos uma creche, escola infantil, Unidade de Saúde, que atendem 2 mil pessoas, a maioria de baixa renda. Eu ando muito ocupada, Teseu, Hércules, Fedra, Ulisses, Fausto, Shakespeare. Eu vou parar de existir. Veja bem, não temos dinheiro. Estamos com medo. Vamos conversar, isso é uma democracia, não? Meu nome é Anne, que será de mim? Já foi protocolado na Câmara o Projeto de Lei que autoriza a Prefeitura a negociar essa área pública de 20 mil metros apesar de dois inquéritos civis estarem em andamento de ter sido aberto processo de tombamento. Mamãe está triste. Eu observei a rua pela fresta da janela.

Afonso Lima

Três de branco

Querido diário hoje decidimos viver no topo sermos quem somos liberdade toal é proibido proibir.

Andamos de branco
Mijamos na sala
Comemos nossa merda
Somos felizes

Querido diário hoje roubei uma loja foram cinco jóias.
- você tem de dar para nós dois ao mesmo tempo, foi o combinado.
- agora eu vou colocar essa garafa no seu ânus eu me vingo.
NOME: André Limeira Torres PROFISSÃO: Estudante de Direito
ENDEREÇO: Rua Alpina, 518, ap. 206
Art. 508. Na apelação, nos embargos infringentes, no recurso ordinário, no recurso especial, no recurso extraordinário e nos embargos de divergência, o prazo para interpor e para responder é de quinze dias.
Reflexos. Um bibelô de vidro. Um quadro onde alguém pesca no lago. É proibido proibir na parede. Pregaram com pregos compridos.


Afonso Lima


Condomínio

Minha neta se maquiava no carro com incrível precisão quando minha filha disse prenderam o Galliano por antisemitismo quem é Galliano perguntou meu marido estilista ele chamou umas moças de feias viram como ela se maquia sozinha com nove anos eu pensava como e eu faço boxe disse o caçula chegando em casa meu neto abriu uma Playboy que trazia na mochila enquanto meu marido dizia por que ele está fazendo boxe para ficar macho como o pai disse meu genro de onde você tirou isso disse meu marido tem uma banca que vende perto da escola tem até uma tal de Numa gata você viu isso filha ah pai Numa também é cultura aos cinco anos eu pai onde os senhor vivia não tinha nem luz vá brincar com os moleques eu disse ele começou a jogar o videogame do celular eu não com esses pobres eu moro em condomínio e por acaso você é rico disse meu marido moro em apartamento tem piscina eles só sabem mãe acho que não quero mais vir na vovó fomos almoçar eu estava muda.

Afonso Lima

Nenhum comentário: