Páginas

terça-feira, junho 28, 2011

Prezado Vereador:
É com muito pesar - e porque não dizer revolta - que recebemos a notícia da aprovação em primeira votação do PL 25/11.
Tendo tomado conhecimento da lista dos votos dos Vereadores presentes naquela seção, constatamos que o Sr. se absteve.
Porém isto não basta!
Confesso que ficamos estarrecidos com a constatação de que o Srs. Vereadores, inclusive o Presidente desta Casa das Leis, com quem estivemos na reunião do dia 20/06/11, às 19hs30, desconhecem os impactos extrememente danosos do projeto do túnel que ligaria a Av. Jornalista Roberto Marinho à Rodovia dos Imigrantes tanto em relação ao seu real custo, quanto ao número absurdo de aproximadamente 1400 imóveis a serem desapropriados.
Outro aspecto que nos causou indiganação foi a declaração do Sr. Presidente Police Neto de que "este PL é de interesse do governo". Perguntamos: onde fica o interesse dos cidadãos neste caso?
Lembro que na mesma ocasião mencionamos que este PL altera significativamente a Lei 13.260/2001 da OUC Água Espraiada e, portanto deveria ser submetido a EIA-RIMA, não sendo apenas mais uma lei de melhoramentos públicos.
A propósito, a obra do túnel recebeu licenciamento ambiental, como reza a lei?
Entendemos que cabe ao Legislativo inquirir o Executivo sobre aspectos ainda não esclarecidos em relação aos PLs que este envia para apreciação do Legislativo.
Como há inúmeros aspectos de projeto, sua implementação, custos da obra e das desapropriações dela decorrentes e impactos de toda ordem ainda não determinados, entre outras questões relevantes, solicitamo-lhe que VOTE PELA REJEIÇÃO DESTE NEFASTO PL 25/11!
A Câmara Municipal existe para representar seus eleitores que são os cidadãos paulistanos. Por favor, exerçam com dignidade o mandato que lhes foi delegado.
Obrigada,
Lucila Lacreta
M. Defenda SP - Diretora Executiva

sexta-feira, junho 24, 2011

Absurdo: onde estão os órgãos do patrimônio?


Folha- São Paulo, sábado, 11 de junho de 2011


Av. Paulista perde casarão e ganha mais um prédio

Imóvel branco arredondado fica ao lado da Casa das Rosas, que é tombada

Construtora Even pretende erguer no local docasarão um prédio de escritórios
com 11 andares e 5 subsolos


VANESSA CORREA
DE SÃO PAULO

Em breve, mais um casarão cederá espaço a outro prédio
de escritórios na avenida Paulista.
Ao lado da Casa das Rosas, a casa branca de fachada
arredondada é hoje alugada pela seguradora Porto Seguro,
que tem escritório ali.

No lugar dela, a construtora Even pretende erguer
um prédio de escritórios com 11 andares e cinco subsolos.
Como a Casa das Rosas é um bem
tombado pelo município, intervenções em imóveis próximos
devem ser aprovadas pelo Condephaat
e Conpresp, os órgãos do patrimônio histórico
estadual e municipal, respectivamente.

Ontem, o Condephaat publicou no "Diário Oficial" do
Estado o aval para a demolição da casa. Segundo a Even,
a autorização do Conpresp também já foi obtida.
"Quase todos os exemplos de ocupação da Paulista se foram.
Os que existem deveriam ser preservados, mesmo que não
tenham um valor arquitetônico muito grande", diz a
arquiteta urbanista Lucila Lacreta, do movimento Defenda
São Paulo.

Para Benedito Lima de Toledo, professor-titular da FAU-USP,
o prédio pode prejudicar a visibilidade da Casa das Rosas.
De acordo com o Condephaat, como o prédio terá 18 metros
de recuo da calçada, a visibilidade da Casa das Rosas
não será afetada.

Não se sabe ao certo quando o casarão foi construído.
A certidão de dados cadastrais do imóvel na prefeitura diz
que a obra é de 1994. Mas uma imagem antiga, obtida por
Gabriel Rostey, da associação Preserva SP, mostra o
imóvel em 1952, quando as casas dos antigos barões
de café ainda dominavam.

quinta-feira, junho 23, 2011

Educação, impessoal

Para J.C.M. Neto

Não o frio do Inferno, por medo
nem a alma que lê, por paixão
um Deus mais duro, o Progresso
(apressar o passo, o homem mole, o futuro pelo sangue)
textos são imagens, economia da alma,
inveja, do não saber feio, a pedra de fora
o novo homem, mil potros liquidificados,
e a terra aberta em novos anseios
*
Outra educação, a da miséria
50 pedras no cansar danado
um professor apanha da polícia
João nunca sonhou com o sertão da gente.

Afonso Lima


Marias

Tu não amavas os livros e eu te amava
Tua poesia era outra
Branca, repete o dia
A água nova do teu rosário

Nada do que sou te fascina
E existe um segredo, só nosso
O poema sem fim, em caos e faxina
A memória e o calor da tua obra.

Afonso Lima

quarta-feira, junho 22, 2011

ROMA

Cenografia de mármore. "Demolições e reconstruções nas obras arquitetônicas dos imperadores romanos remetem a um confisco da memória, o poder como embelezamento que se justifica pela grandiosidade e racionalidade". Café, tenho de colocar água nas plantas, não liguei para meu pai, aula hoje sobre Pirandello, máquinas-máscaras, "Estão construindo três torres imensas na rua Paim, onde vai andar toda essa gente, a rua é estreita", a amiga disse, entre o formalismo russo e a destruição pelos "representantes". Pelo parque, "e ela deu a bunda pra você", mulher se maquiando, lembro Bonassi no Youtube, "Em São paulo, tudo desaparece", metrô, papel, "Prefeito desapropria área verde da Augusta para mercado imobiliário", está me perseguindo, "a filha pede ao diretor para ser sua peça", Brigadeiro, viaduto, “que obra é essa”,”tamo tirando os barraco que tinha aqui”, “e para onde eles foram”,“não sei”, cai a noite, filme, uma casa, escavadeira, mãe, lavar as mãos. "Estão fazendo isso com todos". Onde está o fora, o autor escreve um texto, aula de Sant´Ana, banho, "veja esse imeil: Associação comemora - Não passou! Valeu ir todo dia no Plenário - o rei resolveu mudar obras da Operação sem consultar a população e pretendia fazer isso sem alterar a lei", território vazio, nada (não) nada, tenho de colocar água nas plantas, não liguei para meu pai, Roma para dormir, a queda muros ruas desertas, aula amanhã sobre Barthes.

Afonso Lima

Anne

Meu nome é Anne, moro atrás de um escritório. Meu nome é Anne, fui criada na década de 40, no Quarteirão Verde, desapropriado para instalação de equipamentos públicos. Meu nome é Anne, nasci quando meu criador recebeu a verba do prêmio de quadrinhos, fico na Biblioteca. Meu nome é Anne, entrevistamos agora o senhor Prefeito. Ontem foi tudo muito tenso, comemos em silêncio, estamos uma pilha de nervos. A Prefeitura tem projeto para vender meu espaço para condomínios de luxo, mesmo com dinheiro em caixa. Meu criador está triste, foi selecionado mas não recebeu o dinheiro. Ontem ouvimos o homem que vende batatas falando alto, ele pode suspeitar. A verba da cultura parece esmola, teríamos de pedir às empresas, como se fossem mecenas europeus! Eu nasci pelas mãos de Monteiro Lobato, formei gerações de leitores no bairro. São oito pessoas na Casa dos Fundos. Mais de 10 mil assinaturas de moradores já foram recolhidas. Eu beijei ele. No "quarteirão" funcionam diversos equipamentos uma creche, escola infantil, Unidade de Saúde, que atendem 2 mil pessoas, a maioria de baixa renda. Eu ando muito ocupada, Teseu, Hércules, Fedra, Ulisses, Fausto, Shakespeare. Eu vou parar de existir. Veja bem, não temos dinheiro. Estamos com medo. Vamos conversar, isso é uma democracia, não? Meu nome é Anne, que será de mim? Já foi protocolado na Câmara o Projeto de Lei que autoriza a Prefeitura a negociar essa área pública de 20 mil metros apesar de dois inquéritos civis estarem em andamento de ter sido aberto processo de tombamento. Mamãe está triste. Eu observei a rua pela fresta da janela.

Afonso Lima

Três de branco

Querido diário hoje decidimos viver no topo sermos quem somos liberdade toal é proibido proibir.

Andamos de branco
Mijamos na sala
Comemos nossa merda
Somos felizes

Querido diário hoje roubei uma loja foram cinco jóias.
- você tem de dar para nós dois ao mesmo tempo, foi o combinado.
- agora eu vou colocar essa garafa no seu ânus eu me vingo.
NOME: André Limeira Torres PROFISSÃO: Estudante de Direito
ENDEREÇO: Rua Alpina, 518, ap. 206
Art. 508. Na apelação, nos embargos infringentes, no recurso ordinário, no recurso especial, no recurso extraordinário e nos embargos de divergência, o prazo para interpor e para responder é de quinze dias.
Reflexos. Um bibelô de vidro. Um quadro onde alguém pesca no lago. É proibido proibir na parede. Pregaram com pregos compridos.


Afonso Lima


Condomínio

Minha neta se maquiava no carro com incrível precisão quando minha filha disse prenderam o Galliano por antisemitismo quem é Galliano perguntou meu marido estilista ele chamou umas moças de feias viram como ela se maquia sozinha com nove anos eu pensava como e eu faço boxe disse o caçula chegando em casa meu neto abriu uma Playboy que trazia na mochila enquanto meu marido dizia por que ele está fazendo boxe para ficar macho como o pai disse meu genro de onde você tirou isso disse meu marido tem uma banca que vende perto da escola tem até uma tal de Numa gata você viu isso filha ah pai Numa também é cultura aos cinco anos eu pai onde os senhor vivia não tinha nem luz vá brincar com os moleques eu disse ele começou a jogar o videogame do celular eu não com esses pobres eu moro em condomínio e por acaso você é rico disse meu marido moro em apartamento tem piscina eles só sabem mãe acho que não quero mais vir na vovó fomos almoçar eu estava muda.

Afonso Lima
Email dos moradores (se Deus quiser!) do Jabaquara:

Senhores (as),


Boa tarde !

Estamos a um passo para sermos desapropriados.

Talvez a última chance para vetar este projeto PL25 que desapropria mais 1400 casas e envolve mais de 28 000 pessoas (entre casas formais e comunidades).

Segue abaixo a lista dos 39 vereadores irresponsáveis que votaram a favor da desapropriação, para dar as nossas casas para emprendimentos do Kassab. Construirão prédios e parques em cima das nossas casas.

Lembrem deles na próxima eleição, faça campanha contra estes malignos, mandem e-mails para todos que conhecem e guardem a lista para as próximas eleições. Eles atrasaram a construção do projeto antigo da Lei 13.260 e querem superfaturar a obra do projeto da PL25.

A Prefeitura iria gastar 1 bilhão com projeto antigo e agora vão gastar mais de 5 bilhões e prejudicar a todos nós. A cidade não precisa deste dinheiro para transporte, saúde, educação, segurança obras contra enchentes, etc. ???



Segue a lista dos malignos que devem ser banidos da política da nossa cidade e do país :



Abou Anni , Adolfo Quintas, Agnaldo Timóteo, Aníbal de Freitas, Atílio Francisco, Aurélio Nomura, Carlos Apolinario, Claudinho, Claudio Fonseca, Claudio Prado, Dalton Silvano, David Soares, Domingos Dissei, Edir Sales, Gilson Barreto, Goulart, Jamil Murad, José Police Neto, José Rolim, Juscelino Gadelha, Marco Aurélio Cunha, Marta Costa, Milton Ferreira, Milton Leite, Natalini, Netinho de Paula, Noemi Nonato, Paulo Frange, Quito Formiga, Ricardo Teixeira, Roberto Tripoli, Russomano, Salomão, Sandra Tadeu, Senival Moura, Souza Santos, Tião Farias, Toninho Paiva, Ushitaro Kamia , Wadih Mutran

terça-feira, junho 21, 2011

Email da SOCIEDADE DOS AMIGOS E MORADORES DO BAIRRO CERQUEIRA CÉSAR

A Samorcc aguardava a desapropriação como PARQUE AUGUSTA, prometido dias antes da eleição pelo DD. Sr. Prefeito, que emitiu um DUP - UTILIDADE ÚBLICA. (mudou de idéia uma vez eleito!)

Para nossa surpresa, a CONVOCAÇÃO é para a apresentação de um empreendimento no local, composto por torres residenciais, comerciais e empreendimento comercial.

Permita-nos o desabafo, mas a MUNICIPALIDADE CAMINHA NA CONTRA MÃO e a Secretaria do Verde que deveria dar o exemplo lutando por áreas verdes e permeáveis tem a ousadia de convidar a população para mostrar uma mega construção dentro do sonhado e prometido PARQUE AUGUSTA. Última área verde e permeável da região.

Lembramos que a área é tombada e que tem restrições e nem se cogita em nos enganar que seria uma construção deixando um parque ao fundo. É CONSTRUÇÃO PURA MESMO, que liquidará dezenas de árvores e deixará um matinho sufocado ao fundo.

A população de São Paulo está pasma diante da liquidação das florestas, áreas verdes e permeáveis da cidade, que vem perdendo a vegetação por conta de interesses indiv iduais.

SÃO PAULO PRATICA O "Greenwashing" OU SEJA, FAZ UM DISCURSO verde E PRATICA a devastação e a imperemeabilização!


A população do entorno promete lutar com todas as forças. Que Deus tenha piedade e poupe esta última área verde e permeável da região central da cidade!


Lembremos: Todo o poder emana do povo e em seu nome há que ser exercido!

SAMORCC -
MPE quer refazer o projeto Nova Luz:

"Para o Ministério Público Estadual, o projeto Nova Luz precisa ser refeito e não pode mais separar a questão urbanística da situação dos dependentes. A exigência foi feita ontem pelo promotor de Habitação Maurício Antonio Ribeiro Lopes, logo após o governo municipal fazer a primeira apresentação pública do projeto de desapropriações, no plenário da Câmara Municipal. O governo prometeu reunir-se com o MPE"


De fato, a Prefeitura usou os 300 drogados da região para justificar o projeto em sua comunicação publicitária, mas não se dignou a considera-los no projeto ou lhes dar qualquer assistencia. Portanto, a intervençao do MP é muito oportuna em matéria de direitos humanos (mas não resolve a legislação ilegal e inconstitucional da concessão urbanística).

Suely Mandelbaum
Arquiteta Urbanista

segunda-feira, junho 20, 2011

Possíveis explicações para o novo clipe de Lady Gaga
(a doida da escada, segundo o Mix - cadê o chapéu Rainha Amidala do American Idol???)



1. invasão marciana
2. patrocínio das Casas NY
3. cansou de ser Madonna-na-ópera
4. quer provar que é "gente como a gente"
5. a peruca com mecha loira
6. não é Lady Gaga, é a CIA
7. está poupando forças
8. está falida
9. é a melhor música do álbum e podíamos enlouquecer se fosse o melhor clip
10. depois de gravar o primeiro minuto, foi chamada no telefone e usaram as sobras.


É o primeiro caso na história onde a TV quase-sim-acho-que-superou o clipe...

(o que eu mais gosto nela é uma certa atrapalhação humana, por exemplo, na saída do ovo no SNL ou na banheira no Bad Romance... é carão com humor)



E justo nessa que precisa tanto de corpo de gentes dançando!!!
(O melhor de Born this Way é a dancinha um lado-outro e de Judas salva-se o coraçãozinho...)
Cadê a chuva de água, purpurina, os sapos dançantes, as chamas???
Devolvam a Lady!
(para quem não cansou... uma performance glory...)

domingo, junho 19, 2011


Audiência pelo Belas Artes na Assembleia Estadual levanta o tema da utilidade pública


Em Audiência na Assembleia Estadual nesta quinta feira (16), o deputado Carlos Giannazi enfatizou a utilidade pública do cinema como espaço de memória afetiva e ponto de referência na vida cultural da cidade e do país, comprometendo-se a acompanhar as ações que estão tramitando na Casa, a levar à Comissão de Educação e Cultura da Assembleia o caso, assim como a iniciar busca de parcerias com empresas públicas e privadas no sentido da compra do espaço (assim como ocorreu com o cinema Odeon, marco da cidade do Rio de Janeiro, que foi comprado pela Petrobras).

A audiência se manifestou citando o caso do Teatro Oficina, tombado recentemente, o caso do terreiro Ilê Axé Obá, tombado há 20 anos e a desapropiração da Casa de Sérgio Buarque de Holanda. Foram lidos depoimentos emocionados de frequentadores do cinema e apresentado um video de Marina Puech com personalidades como Lúcio Mauro Filho e Gorete Milagres em defesa do cinema. 88.760 pessoas já apoiam a causa no facebook e as listas contam de mais de 30 mil assinaturas.

Em março o vereador Eliseu Gabriel reuniu-se com o prefeito levantando a necessidade de reconhecimento da utilidade pública do espaço e este preferiu não se pronunciar. A lei 14. 604/2007 do vereador Chico Macena (PT) precisa ser regulamentada pelo prefeito para dar poderes ao CONPRESP no sentido de registrar patrimônios imateriais, o que prevê medidas de salvaguarda.

O Movimento pretende agora sensiblizar as autoridades para que vejam o caso como exemplar da utilidade pública dos cinemas, em especial do cinema de rua de fácil acesso e com preços populares (com opções como o Cine Clube e o Noitão), da necessidade de se valorizar a identidade coletiva dos paulistanos (o cinema tem 68 anos) e de se planejar o lazer, a qualidade de vida e a diversidade cultural na capital como determina o Estatuto das Cidades de 2001.


http://www.causes.com/causes/561939?m=970080e7
querobelasartes.blogspot.com/


Deputado apresenta projeto de desapropriação
do prédio do cinema Belas Artes

publicado em 23/02/2011 às 20h37
Carlos Giannazi fez o anúncio durante encontro com representantes de entidades culturais
João Varella, do R7 -
O deputado estadual Carlos Giannazi (PSOL) afirmou, nesta quarta-feira (23), que apresentou um projeto de lei para desapropriar o prédio do cinema Belas Artes, no centro de São Paulo. Segundo o parlamentar, o projeto começou a tramitar na terça-feira (22). Ele disse que vai pedir regime de urgência na proposta, o que deve acelerar o processo.

Giannazi fez o anúncio durante uma mesa-redonda com representantes de entidades culturais no próprio Belas Artes, cinema de rua tradicional da capital que corre risco de ser despejado. Os donos têm planos de ceder o espaço para outras atividades econômicas.

O pedido de Giannazi faria com que o prédio ficasse público. O deputado afirmou que seu projeto não anula o pedido de tombamento do Belas Artes.


Vereador quer pedir a Kassab que Belas Artes
vire área de utilidade pública

Luciana Sarmento, do R7

O vereador Eliseu Gabriel (PSB) afirmou na noite desta quarta-feira (16) que pretende pedir uma reunião com o prefeito Gilberto Kassab (DEM) na quinta-feira (17) para discutir a situação do Belas Artes e pedir que o cinema que fica na rua da Consolação, em São Paulo, seja declarado uma área de utilidade pública.

- É mais uma forma de pressão para que o Belas Artes continue como está porque na hora que é declarado área de utilidade pública, ele não pode ser vendido.

De acordo com o vereador, o processo de transformação do Belas Artes em uma área de utilidade pública pode durar “dez minutos”. Ou seja, basta que o prefeito concorde com a medida e assine o termo.

Alguns depoimentos de paulistanos enviados ao CONPRESP.

"Vi a sala 4, Aleijadinho, vazia, sem as poltronas, sem caixas de som, sem luz. A tela ainda resistia lá na frente. Até fazia eco.
Uma tristeza de apertar o coração. Mas vamos lá, vamos tombar esse prédio e trazer o Belas de volta".

Hirao
"Apresentei-a a muitos dos meus amores e a revisitei com tantos outros, mentiria se dissesse que houvera trazido todas as mulheres da minha vida. Minha mãe nunca a conheceu e, infelizmente, tão pouco vai conhecer.

Meu segredo é: não tenho receio em dizer que atesoro cada um dos bons momentos ali vividos. Sobre aquele terraço de mármore negro limitado por uma grande vitrine de vidro assistindo ao corredor de ônibus sempre congestionado naquele ponto, terminando a Rebouças, eu iniciei muitos dos meus romances.

É triste, mas a vida não é como nos filmes de finais felizes e encantadores, as vezes penso: vivemos no real teatro da tragédia".

Fernando Fileno

"Em 2004, durante uma conversa com André Sturm, tive a ideia de levar crianças, escolas, para o Belas Artes. Entrei em contato com a ONG - Instituto Padre Mariano, na qual eu havia trabalhado como voluntária e apresentei uma proposta. Eles escolhiam o filme e agendávamos a sessão. Mesmo sem patrocínio realizamos as sessões gratuitamente.
Mas para eles este dia era muito importante...enfim, era o dia de ir ao Cinema Belas Artes, então caminhavam e caminhavam felizes!

Ao final de cada sessão todos aplaudiam de pé o filme e, ao sair do cinema todos me cumprimentavam agradecendo a oportunidade.

Nos grupos de jovens do Abrigo Municipal (meninos de Rua) e em Liberdade Assistida (ex-detentos), nenhum deles havia entrado em um Cinema antes.

Descobriram o que era um "cinema" durante esse Projeto. Aprenderam a amar, apreciar e respeitar a sétima arte. Descobriram que também podiam sonhar, imaginar e transformar as suas realidades".
Wania Malafaia


"O CINEMA BELAS ARTES É DA CIDADE DE SÃO PAULO. UM ÍCONE DA CULTURA E DA HISTÓRIA DA CIDADE.
COMO PAULISTANA VOU LUTAR POR ELE".
ESMERALDA HANNAH

Telmo Estevinho – aposentado (muitos frequentavam às tardes)

"A primeira vez que estive em SP foi em 1992 para conhecer o Belas Artes, um cinema famoso que nós, no interior de SP ouvíamos muito falar! Vi "O Marido da Cabelereira" e nunca me esqueci das pessoas na sessão lotada, das poltronas, da atmosfera charmosa que o cinema transmitia! Este cinema não pode fechar, é muito mais que um prédio, é uma atmosfera carregada de histórias da cidade de SP, dos seus visitantes"...

Exemplos de tombamentos.
http://blogs.estadao.com.br/jt-cidades/arvore-de-155-m-esta-em-processo-de-tombamento/
http://www.n-a-u.org/Amaral-patrimonio.html

Terreiro tombado Axé Ilê Obá

No dia 16 de agosto de 1990 surge um fato inédito na história de São Paulo. O tombamento, pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico (CONDEPHAAT), do Axé Ilê Obá, um terreiro de candomblé de nação ketu, localizado na Vila Facchini, na capital de São Paulo.

Este tombamento coloca em evidência a possibilidade de repensar o conceito de patrimônio histórico e cultural e seus modos de preservação, ao mesmo tempo em que dá um exemplo concreto de uma política cultural avançada, levando em consideração o conjunto dos valores culturais de um grupo, mesmo se eles não têm sido reconhecidos como tais pela história oficial.

O CONDEPHAAT mostra, com esse tombamento, que é possível dar passos efetivos para a renovação do conceito de patrimônio cultural. Aos órgãos de defesa cabe garantir as condições para que isso se dê.

Rita Amaral

pesquisadora do Núcleo de Antropologia Urbana da Universidade de São Paulo, doutora em Antropologia Social pela USP

A PROTEÇÃO DO PATRIMÔNIO CULTURAL
COMO DIRETRIZ URBANÍSTICA DE OBSERVÂNCIA OBRIGATÓRIA
www.mp.mg.gov.br/portal/public/interno/arquivo/id/3449

Foto: André Meloni

Aos Vereadores do Município de São Paulo


Ilustres Vereadores,

É com imenso pesar que a população do Distrito do Itaim Bibi, e distritos adjacentes, manifesta seu repúdio público ao Projeto de Lei nº 01-00271/2011, de autoria do Sr. Prefeito Gilberto Kassab, encaminhado à casa dos representantes do povo paulistano em 01/06/2011, que tem por objeto a desafetação, para posterior alienação mediante licitação, do “Quarteirão da Cultura”, localizado entre a Av. Horácio Lafer e as Ruas Salvador Cardoso, Cojuba e Lopes Neto.

Desde dezembro de 2010, quando a população do Itaim Bibi tomou conhecimento dessa pretensão, que ofende ao interesse público, tem externado sua contrariedade à decisão tomada pelo Senhor Prefeito, por meio da mobilização da sociedade civil e de associações, expressando, veementemente, sua opinião desfavorável, realizando protestos públicos, inclusive nessa casa, na qual em 28/03/2011, foi realizada uma Audiência Pública presidida pelo ilustre Vereador Eliseu Gabriel.

Referido evento foi antecedido pela Audiência Pública presidida pelo ilustre Deputado Estadual Carlos Giannazi, realizada na Assembleia Legislativa em 24/02/2011.

Adiciona-se a tais providências, o abaixo-assinado preparado pela população paulistana, que hoje conta com mais de 11.000 (onze mil) assinaturas, e uma manifestação pública realizada no dia 21/03/2011, no entorno do “Quarteirão da Cultura”, que contou com a participação de mais de mil pessoas.

Em outras cinco oportunidades, a população se reuniu em Assembleia Popular, realizadas na Paróquia Santa Teresa de Jesus em janeiro, fevereiro e março deste ano, e, em todas elas foi reafirmada sua posição e rechaçada a intenção do município por constituir um retrocesso social inestimável, ora consubstanciado no Projeto de Lei 01-00271/2011, que configura lesão aos direitos sociais, ao meio ambiente, ao patrimônio público e ao patrimônio histórico e arqueológico.

A população do Itaim Bibi pleiteia aos seus ilustres Vereadores a preservação do patrimônio público, histórico e arqueológico e a manutenção dos serviços disponibilizados a ela no “Quarteirão da Cultura”, em que encontram-se instalados oito equipamentos públicos imprescindíveis, constituídos pela Biblioteca Pública Anne Frank, pelo Teatro Décio de Almeida Prado, pela CEI – Creche de Tempo Integral Santa Teresa de Jesus, pela EMEI – Escola Infantil de Tempo Integral Tide Setubal, pela Escola Estadual de Tempo Integral Professor Ceciliano José Ennes, pela Unidade Básica de Saúde José de Barros Magaldi e CAPS III - Centro de Atenção Psicossocial 24hs e pela unidade da APAE Escola Zequinha.

Além dos equipamentos públicos de relevante valor social, no “Quarteirão da Cultura” encontram-se espécimes raros da nossa Mata Atlântica, que constitui uma das


poucas massas verdes da região, um sítio arqueológico e edifícios antigos de grande valor arquitetônico e histórico, que carecem de preservação.

Neste intuito, em 01/abril/2011, a população requereu ao Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo – CONDEPHAAT o pedido de tombamento do “Quarteirão da Cultura”, sendo que o procedimento foi deferido em maio de 2011.

Afora tais medidas, a população apresentou duas representações ao Ministério Público do Estado de São Paulo, que culminaram na instauração de dois inquéritos civis, um na Promotoria de Justiça do Meio Ambiente e outro na Promotoria de Justiça do Patrimônio Público e Social.

Apesar da intensa manifestação de repúdio dos cidadãos paulistanos do Itaim Bibi e adjacências, o Senhor Prefeito, ignorando completamente aos seus apelos, apresentou o Projeto de Lei nº. 01-00271/2011 à Câmara Municipal de São Paulo.

Desta feita, os cidadãos paulistanos do Itaim Bibi recorrem, mais uma vez, aos ilustres Vereadores desse Município e clamam pela defesa do patrimônio público, histórico e arquitetônico, do meio ambiente e a manutenção de todos os serviços que hoje lhe são disponibilizados pelo Município de São Paulo para o pleno exercício dos seus direitos sociais, o que só se pode obter pela rejeição e arquivamento do Projeto de Lei 01-00271/2011, pelas razões que ora se apresentam:

1. os imóveis que constituem o “Quarteirão da Cultura” foram desapropriados pelo Município de São Paulo na década de 40 para instalação de equipamentos públicos, que visam, desde então, prestar serviços públicos de qualidade à população, fim que se concretiza dia a dia por meio da disponibilização de serviços médicos, educacionais, culturais, psicológicos e sociais. É um local destinado à valorização do ser humano em respeito a sua dignidade, a manifestação singular de autodeterminação consciente e responsável,

2. no “Quarteirão da Cultura” a população exercita seus direitos sociais, suas garantias asseguradas pelo ordenamento jurídico e destinadas à proteção de suas necessidades básicas, para que viva com um mínimo de dignidade e com amplo direito de acesso a serviços condicionantes da sua realização como ser humano,

3. no “Quarteirão da Cultura” encontra-se instalada uma escola estadual, por força do Protocolo de Intenção celebrado entre o Município de São Paulo e o Estado de São Paulo, visando à permuta de terreno estadual por terreno municipal, em função do prolongamento da Av. Faria Lima, cuja obra foi realizada na década de 90,


4. a população encontra-se em estado de total vulnerabilidade diante do Projeto de Lei nº. 01-00271/2011, que gera insegurança e instabilidade social,

5. almeja-se a preservação do “quarteirão da Cultura” mediante tombamento, que encontra-se em curso.

Pelos motivos expostos, torna-se imperativo a rejeição do Projeto de Lei 01-00271/2011 e seu arquivamento, para que o constitucionalismo social prevaleça no Distrito do Itaim Bibi, favorecendo a efetividade da prestação de ações e serviços de saúde, de educação, cultura e proteção do meio ambiente e ao patrimônio histórico e cultural, e promovendo a Justiça Social.


MOVIMENTO EM DEFESA DO QUARTEIRÃO DA CULTURA
SOS ITAIM BIBI


Apoio
Associação Grupo Memórias do Itaim Bibi – AGMIB
Sociedade Amigos do Itaim Bibi – SAIB
Associação Preserva São Paulo – PRESERVASP
Movimento Defenda São Paulo – DEFENDA SP
Paróquia Santa Teresa de Jesus
Vereador Eliseu Gabriel
Deputado Estadual Carlos Giannazi

sexta-feira, junho 17, 2011




http://diariooficial.imprensaoficial.com.br/nav_v4/index.asp?c=12

16/06/2011 20h28

Discussão sobre cine Belas Artes continua na Assembleia
Da Redação - Joel Melo


Debate sobre o cine Belas Artes

Segundo o deputado Carlos Giannazi (PSOL), a melhor solução para que o cine Belas Artes volte a funcionar seria a compra do espaço pela prefeitura. O cinema " que funcionou durante 68 anos na esquina da av. Paulista com a Rua da Consolação e se destacou por exibir filmes de arte que não chegaram ao circuito comercial - teve suas portas fechadas em março de 2011, e ainda suscita em cinéfilos a esperança de terem, no mesmo endereço, um cinema de qualidade, com as mesmas características do anterior, quais sejam, de exibir filmes clássicos que não encontram espaço na programação dos demais cinemas.

A reunião desta quinta-feira, 16/6, no plenário José Bonifácio da Assembleia paulista, serviu basicamente para a criação de um calendário no sentido de acompanhar as ações que estão tramitando na Casa pedindo desde a desapropriação do espaço onde o cinema funcionava, até a compra do prédio pela prefeitura, opção que Giannazi aponta como a melhor.

quarta-feira, junho 01, 2011

Do movimento que luta pelas casas do Jabaquara...

...

Vamos lembrar dos Vereadores que votaram contra a população:

-Floriano Pesaro Votou pela derrubada de suas residências, enquanto brincava no Facebook.
-Adolfo Quintas votou pela expulsão de todos nós do Jabaquara.
-Dalton Silvano votou para botar as comunidades carentes para correr do Jabaquara.
-Abou Anni votou com voto de cabresto para se ver livre das comunidades do Jabaquara.
-E Milton Leite Veio de escavadeira Votar pelo bolso dele e pelas lágrimas de suas mães.

http://tragediasocialjabaquara.blogspot.com/ Entre e de sua opinião sobre o assunto.




Comunicado:


O massacre que vem sofrendo a população do Jabaquara bairro da zona sul da capital de São Paulo, massacre esse realizado por Vereadores da Câmara municipal que vem num verdadeiro “efeito Trator “ tentando aprovar o PL 25/11 que muda a Operação urbana água Espraiada em beneficio de Empreiteiras, alguns vereadores e do Prefeito Kassab .


Tal projeto irá desapropriar (expulsar) 1400 familias de imóveis formais e expulsará também aproximadamente 10.000 familias de comunidades carentes .


O valor do projeto está em aproximadamente 5 Bilhões de reais , sendo que o projeto original custava 1 Bilhão e na verdade visa remover as comunidades carentes e no local construir diversos emprendimentos imobiliários de alto padrão deixando essas pessoas ao “Deus dará” pois a prefeitura apenas se compromete a fazer 4000 casas e deixa o resto supostamente para o CDHU.


Todos sabemos como esses governos agem, não respeitam acordo algum , passam o trator mesmo e para proprietários é um festival de precatórios.

Tal projeto é tão coberto de irregularidades que qualquer Juiz que “não estiver no Bolso “ invalidaria a lei imediatamente.

Seguem abaixo links da sessão extraordinária na CCJ que deu o parecer de legalidade ao projeto.

Confiram os absurdos.


-Vereador Milton Leite combina voto para expulsar moradores do Jabaquara antes da Sessão

http://www.youtube.com/watch?v=mt7WU-AKdZA


-Vereador Roberto Tripoli Chega a sessão para articular a derrota dos moradores do Jabaquara na votação do PL 25/11 na CCJ

http://www.youtube.com/watch?v=t4tgqaWNgmI


-Advogado da Associação dos Moradores é impedido de se pronunciar por vereadores

http://www.youtube.com/watch?v=WGyO5tB_xjk


-Votação expulsará milhares de familias do Jabaquara

http://www.youtube.com/watch?v=ZbkHbApcIWQ

Divulguem , faça chegar ao exterior , mostrem a cara desses corruptos.


Segue abaixo e-mail dos "nobres" vereadores (com letra minúsula mesmo!) que querem destruir o Jabaquara mas sempre pedem voto na região:

Abou Anni: abouanni@uol.com.br
Adolfo Quintas: adolfoquintas@camara.sp.gov.br
Dalton Silvano: daltonsilvano@camara.sp.gov.br
Floriano Pesaro:
contato@florianopesaro.com.br
José Police Neto:
policeneto@camara.sp.gov.br
Milton Leite:
miltonleite@camara.sp.gov.br
Roberto Tripoli:
tripoli@camara.sp.gov.br

E para quem tiver amigos na Aclimação, divulguem o que o "nobre" vereador Dalton Silvado tem feito com a população do Jabaquara.
Este se diz religioso, cita salmos para as pessoas mas não se preocupa nenhum pouco com as pessoas doentes de nossa região e as que irão perder suas casas. Ele tem um eleitorado grande naquela região da Aclimação...