Páginas

segunda-feira, outubro 08, 2012


Os competidores

Eu não estou no negócio de ser melhor que os outros.
Eu estou no negócio de parar, silenciar e esparramar-me pertencendo.
Aceitar. Perder. Duvidar.
Brotar. Esperar, ouvir.
Vencer - reconstruir.
Eu não fiz o que fiz por poder.
É que a vida é dobrada, cheia de vazios, ela cria

-Um poder ser semente e fruto e flor
num jardim de diferenças, no tempo da reverberação -

Eu não estou no negócio de saber para que outros não.
No negócio de crescer reto para roubar a luz.
De progredir para ser
- Raiz molhada, dentro, dentro, e folhas tortas e manchadas sem fim,
e terra cheia de fantasmas animados, que sabem voar -
Eu não estou à busca do livro certo, do dito certo, do brilho que a regra traz
- somente quando esqueço - e lembro no real do possível
no ser que basta e sabe e cura
o que corre e cresce sem palpável -
Eu faço as coisas com destruição, erro e medo, e sei o que é sombra e não.
Eu quero tudo, e quero mais o todo.

Afonso Lima

Nenhum comentário: