Páginas

segunda-feira, maio 29, 2017

A hora da noite

Parece que existe algo fora da Biblioteca.

amor - separação - amor - separação: não necessariamente nessa ordem.

Existe alguma coisa que ouve - existe essa voz de fora - isso é um livro de ficção - o lugar é sem janelas. É preciso saber desse passado.

Eu dizia - temos de dar uma chance à humanidade, a você.

Confrontos, o som dos helicópteros, tiros foram disparados. As conquistas foram moderadas, mas nem isso se quer aceitar. Caso na Biblioteca. Onde as narrativas A, B e C ou mais conversam.

Na noite escura a lua. Uma janela. Não será feita uma síntese. O eu é arrastado pelo tempo. Os reflexos. Não será possível afirmar que podemos afirmar uma realidade.

Eu achava que eu tinha de crescer e aceitar as pessoas como são.
Um pouco mais de sensibilidade não é sensibilidade o bastante.

ele anda pelo trigo, ruivo e belo, ele abre o livro, o sol.

A brutalidade fora da Biblioteca. Sussurram. Ele foi preso, preso injustamente, a fumaça, o exército está na rua.

Sem janelas. A lua. Um relâmpago é o tempo da identidade que une, não pode ser integrado.

Existem pessoas que não podem ver nada além do eu.
É uma questão epistemológica, não moral.

O fluxo da mente como personagem. E, de alguma forma, os sons todos, os sons dançantes, precisam chegar a um trabalho de fim de semestre.

ele deixa cair o copo, derrama, uma sombra passa em frente ao sol, ele mudou seu tom de voz.

A fábula de alguém fabulando, estou nisso, depois me separo. Nunca dirá, sim, era eu, eu me lembro.

Se você perguntar por que eles não vêem nenhuma outra coisa além de si mesmos, eles perguntariam: que outra coisa?

Quem é esse eu na sombra, no escuro. Imaginar, a aventura. Voz, ouvinte e imaginador na mesa. Primeira pessoa negado.

O lixo nas ruas, chamas na rua. O presidente fala, ninguém acredita. Isso está mesmo acontecendo. A lei é privada. Quer a Biblioteca. Só a Biblioteca traz realidade à percepção.

Olha o homem passado de olhos azuis, escuro, a lua.

as folhas verdes, o brilho da nova estação. 

Sozinho, ele se divide, busca companhia, sussurram juntas as crianças feitas no escuro.

Foi lindo, aquele vinho e a voz ecoando, a toalha branca, as flores. Foi assim que voltamos a acreditar. Em vão. 

Azuis, sem querer relações. Sente o irmão, o outro, misterioso, entre as pedras da câmara esférica. Solidão amiga. Precisa.

Eu acreditava estar interagindo com alguém. Realidade inventada. 

Dentro da cabeça. A criança sozinha no bosque, sussurram juntas no escuro.

Caminha pelas paredes de herdadas verdades significadas. A notícia, ninguém acredita. Não vem ao caso, a imaginação que ajuda a iluminar. Novo aviso. Fechada a Biblioteca à noite.

Eu acreditava que você era alguma coisa quase integrada e não impulsos mal ajambrados e pedaços partidos. 

À janela, numa noite escura, na mesa, impulso incontrolável, vida inventada, imagens de uma vida, o poema passado, é preciso.

Afonso Junior Ferreira de Lima

sábado, maio 27, 2017

A lenda de Torryl Negal

A máquina era impressionante. Shama estava eufórico. O bairro estava completamente abandonado. Ele teve a visão apenas por dois minutos, mas tinha certeza de que havia pessoas por ali. 
Ele procurou seu pai, o melhor adivinho dos sacerdotes do oráculo, e contou sobre a visão transtemporal.
- Eu o proíbo de qualquer tentativa de alterar as coisas, ele disse.
- Mas pai, estamos sob um regime de força. A lenda de Torryl Negal, como livraram o mundo de um domínio do crime. 
- Não se sabe o que pode acontecer.
- O senhor, por anos, tem citado o oráculo: "O significado de todas as coisas é que elas já aconteceram antes". 
Todas as pessoas usavam o oráculo para ouvir o que os mitos explicavam sobre o presente. Seu pai era um desses novos sacerdotes, um pioneiro da neurofísica, da computação robótica, um descobridor. O que acontecera era que a guerra às drogas levara a uma divisão da sociedade entre gente pobre e gente que têm meios de sobrevivência. O efeito do vício foi usado como justificativa para a eliminação de usuários. A única liberdade restante foi a escolha entre as marcas dos produtos. 
Ele prosseguiu seus experimentos. Conseguiu materializar-se na rua na época em que se aprovou o fim dos impostos. Seu plano era matar o senador que desencadeou a guerra às drogas. 
O oráculo sempre disse que a realidade era uma ilusão, que os seres estavam ligados, que a energia podia ser transformada e a matéria era energia. Shama sabia isso em seu corpo. 
Teve a visão do senador em sua sala observando a cidade. Materializou-se no corredor. 
- Quem o teria matado? - perguntou o homem ao telefone.
Shama ficou ouvindo. 
- Nós sabemos que futuro nos esperava. Bairros dominados por criminosos. Nossa força repousa sobre a ordem. Agora que ele está morto, teremos de manter viva a memória do crime para organizar a sociedade. Prender os estranhos. 
Só então Shama entendeu. "Elas já aconteceram antes". Seu pai havia matado o maior traficante do mundo. 

Afonso Junior Ferreira de Lima









quinta-feira, maio 18, 2017

Spectacles/ Paisagens - texto de afonso jr traduçao et blanchard

Je me reveille .les oiseaux me donnent de l espoir encore, tant.

les helicopeteres me font paniquer et ont des soins étrangement reconfortants.

le vert me tire du fil invisible dont je desire me servir quand je saute du batiment le plus haut de la ville.

les helices conversent entre elles, regardant au lieu de Dieu, conversent avec le concret, l horizon legerement orangé, j essaye de laisser le reve assez angoissepenser -et aujourd hui pour quoi?

comment continuer a vivre avec la traquee et les yeux humides dans l ocean de metal et pierre?

mais la machine aussi c est de la vie. ou sont seulement les hommes puissants qui nous trainent et les machines nous tombent des mains?

connaissance c est du pouvoir et je peux vouloir ne pas savoir

il faut que je sois au courant ou je perdrai quelque chose

la vie

*
nous sommes si sophistiqués que nous perdons le contact avec les choses les plus evidentes

une vieille dort a la porte de ma maison avec son edredon rouge. Froid

alors nous sommes mouvements mais les choses demandent de l eau

souffrance dans la forme d oiseau traverse par fleche quel est la mode maintenant, quel est le dogme?

les insects magnetisés montent l escalator, nouveau, brillant. imaginer la vie pour cette personne la, c etait comme si elle vraiment en avait une

et pas seulement une blouse jaune avec des listes blanches, une bequille , des ecouteurs ronds avec un air d annes 80, un livre epais et seduction bougeant dans le sac.

*

accablant .apres ecouter les bruits son esprit s amplifie, le frigo de l autre cote de la maison ecrase infinimment

et, soudain quelqu un parle a coté de moi. je suis fatiguée de trop pour comprendre. pour répondre.

Ça peut être mon amour, possible bon père, travailleur, que je connais de quelque part. Ça peut être moi, que je ne connais pas et ne veux pas.

mon désir s est eloigne de moi et moi de lui. ça devrait c etait peu.

*

je produit de la musique a partir du bruit. Cet aujourd hui c etait le jour que j ai deecidé monter sur le batiemnt le plus haut de la ville et ouvrir la fenetre

je peux seulement voir le monstre blanc d une immense vague entrainer une ville c est ce que je vois

tomber pas a pas du 101er bruit du Italia-dans une mer de gens , qui crie.

alors j ouvrait la fenetre

ce n etait pas la voix cosmique inhumaine qui avale- et sa poesie harmonique de l efficacité-comme le metro

je sentais seulement les poils en chair de poule et les goutes froides exciter mes nerfs de mamifere

plusieurs morceaux ne font pas une vie

c etait seulement pour qu on voit la realité comprendre ça et sentir ça besoin de representation

la somme des perspectives d un bar nous donne ce que la photographie parfaite ne nous donne pas. notre paysage est ecrit en fiction

et , comme je tombais, j entendais les mouvements de la masse, quelque peu instinctif et geant, intensité que reconstruit les molecules du béton.

*

j ai toujours eu une attraction etrange pour ces machines la qui ecrasent les dechets. 13 mil tonnes par jour et aucun systeme digne de séparation.

alors c est ça, mélange tout e nous voyons ce que ça genère

et ces hommes toujours heureux, courant et criant, toujours gagnants et nettoyants nos fautes.

et um de ceux la dans ma rue etait sambeur. la rue est jaune de la pluie de l apres midi.

Il a fondé l École e de temps en temps il faisait du bruit avec le metal , entre le verre et la tasse cassée
dont cette femme la a laissé tomber pendant qu elle cherchait desesperée un billet d amour ou une facture a payer

et, soudain, je me transformait cet écraser quotidien en sens

Presque une couleur, un sens même d organisation.

et les sons les plus divers sont en train de jouer les familles, sont en combustion dans l espace, dispersés, brulants, comme une particule métaphysique quelconque avec son tressage intrinsèque avec d autres- qui est et n est pas prête en rélation en création

Feu au Bras. Un bus a été incendié par des hommes qui crevaient de faim. le gouvernement a favorisé ceux-la qui ont donné des millions en campagne. 2600 favelas a sao paulo, qui grandit.

et les oiseaux chantent. canette. métal.

et tout ce que je peux voir c est une vague géante qui entraine tous mes sens , avec soleil, pluie,dans le jaune, dieux helicopteres, le chien et des paysages de bruit et béton

je veux vouloir transformer tout. et ce que je veux c est seulement un silence ici dedans


Afonso Lima, SP Escola de Teatro - Experimento Módulo Amarelo - 2011 - produzido por Ailton Jose dos Santos, Andréa Fu e Alexandre de Matos

quarta-feira, maio 17, 2017

Os tiros que mataram JY

JY 87L2 foi atingida no pescoço e pernas e caiu no meio da rua. 
900H foi designado para a investigação. 
Estava cada dia mais difícil identificar um alien, um AI ou um carbono. A mestiçagem havia se expandido na última década. 
Com o avanço dos direitos dos seres, leis foram flexibilizadas para tornar nula a diferença na fila de votação. 
O senador conservador KD 99B0 afirmava que isso possibilitou a "infiltração de não-cidadãos" no processo eleitoral e propôs leis que restringissem fortemente os direitos dos aliens e AIs.
O Congresso conservador conseguira, agora, criar uma comissão para investigar o voto de alienígenas. 
JY 87L2, ativista alien, disse na TV:
- Com novas diretrizes de fundo racista, estaremos colocando de fato pessoas que contribuem para nossa sociedade como sub-cidadãos, fazendo com que tenham direito ao trabalho, mas não à decisão política. Em suma, estaremos fortalecendo as heranças mais reacionárias do colonialismo solar e da supremacia do carbono. 
JY 87L2 começou a receber ameaças de morte. O senador passou a dizer que grupos radicais de esquerda estavam gerando caos - eram os hackers que invadiam sites de indústrias e bancos que o financiavam.
900H achou uma testemunha que observou a placa do carro que alvejou JY. 
A investigação levou a um grupo de jovens de extrema-direita, que apoiara a campanha de KD. A comissão para investigar o voto de alienígenas foi envolta em polêmica e encerrada. 

Afonso Junior Ferreira de Lima







domingo, maio 14, 2017

De volta à barbárie

Ela pensava sempre que havia esquecido alguma coisa. Tamia era alta, olhos negros, sempre de roupa preta e com uma energia móvel como o fogo. Sua inteligência fazia com que desconfiasse de todo o sistema de propaganda. Ela criara uma máscara digital, que podia confundir a Máquina, a rede que localizava cada indivíduo pela sua numeração. 
Ela encontrou um homem que havia sido um rebelde. No apartamento desbotado e coberto de livros, morava em prisão domiciliar desde que fora condenado. 
- Sim houve campos e judeus mortos. Sim, há culpa. Mas a propaganda condenou meu nome, de modo que tudo que eu falo é mal visto. Eu chamo essa nova configuração de "república das startups". 
- Eu desconfiei porque nos últimos dias a presidenta tem falado muito sobre o país ter sido sempre contra o fundamentalismo, desde a guerra. Eu vim porque acho que devemos atacar a filha do Marechal. Até mesmo alguns judeus ricos a estão apoiando porque criminaliza os árabes. Ela vai nos levar de volta à barbárie. 
- A polícia que está aí colaborou com os nazis. Eles ficaram, quando o regime ruiu. A verdade é que eles devem ter usado o pulso para lavar as memórias. 
- Quero provas sobre a ligação do Marechal. Quero gravar conversas privadas da LadyFas. Odeio os autoproclamados "patriotas e republicanos antifundamentalistas".  
- Vamos trabalhar juntos. 

Afonso Junior Ferreira de Lima