Páginas

quarta-feira, junho 10, 2015

Elogio da Sombra

Da sombra emerge uma figura. Amassar o barro. E se: jovens no centro histórico com cartazes - Não queremos dez torres! E se: Homens sinistros recebem suborno no Conselho. E se: Juiz afasta promotora que impede as torres ilegais. E se: Urbanista foi demitido da Secretaria. E se: Empregado da Construtora toma posse. E se: Eles construíram casas na beira do córrego. E se: Chegam mais homens para reforçar o policiamento. E se: Diz o professor - A lei específica pró-túnel desmente lei maior pró-cidade. E se: Móveis são retirados de dentro das casas. E se: Os petrodólares precisam de lugar para pousar. E se: O advogado diz - É terra sem lei, vamos rasgar os livros! E se: O secretário na reunião de planejamento - Sabe, moradores de rua, pequeno comércio, não dá, trata-se de valorizar a área, a quadra inteira é mais viável para os investidores. E se: O repórter - Os criminosos liberam a comunidade. E se: Homens sinistros votam no Conselho. E se: Jovens subindo em árvores. Da sombra emerge uma cidade. O barro. 

Afonso Lima

Nenhum comentário: