Páginas

quinta-feira, junho 04, 2015

Exílio

(to Jo)

Lorde, o bispo foi condenado
não há tempo para a verdade
quem eu quero ser -
o céu está cinzento
o reino cai, o inverno
esconda-se!

(Ele disse na cruz:
salve, Mãe-Pai, a razão
bichas pretos e bastardos
flores nos cabelos e abraços nas árvores
sorrisos no picnic e vibração de: quem sou eu?
Pai-Mãe: o direito de não saber 
o que se procura, maldição 
às certezas em marcha, anúncios de faça!
o mundo não se descobriu - assinado 
o assassinado)

O lorde na lama 
foi jogado 
O lorde com seu coração
de leão

(esperança, a bela dor
de sermos o que somos)

para o jovem 
ele fez a rima 
o marinheiro que amou
enfrentando a ira da cidade
levado da idade na flor
a faca 

nós todos somos esse lorde
um pouco sujos, um pouco 
loucos, porque depois a cidade
viverá de nossos sonhos

(Então mentiram pra mim, então
tudo muda em outro lugar
salve, Mãe-Pai, celebrar
bichas pretos e bastardos)

Afonso Lima

Nenhum comentário: