Páginas

domingo, julho 26, 2015

a maçã

Praça extinta, aço em caixa
uma mulher pinta sua grama de verde
porque falta água
africanos queimam plástico
que é mais barato
ser feliz é o alvo
vende-se paris

a escola precisa de reforma
vende-se consciência
trabalhos de coca-cola
ser alguém é o alvo
vende-se paris

o mosteiro feito de barro
uma corrente para os carros
se quero vender meu trajeto
ninguém me perguntou

no cairo o verde da praça
também recebeu ofertas
três diabos, sentiu-se pobre
um quase moderno

uma linda manhã
de compras em São Paulo
o escritório vomitou concreto
flores que nunca morrem
quero dar um tempo
quero olhar o horizonte
a maçã para a mais bela
vai gerar a guerra


Afonso Lima

Nenhum comentário: