Páginas

sexta-feira, julho 10, 2015

Pop

Sou o saltimbanco da festa
um pouco aventureiro
um pouco assustado
seguindo as pistas da verdade

em carros glamourosos
estendendo a mão
eu não sei quem sou
que bom

somos um ovo de esperança
um ponto onde tudo
começa
sou o povo em roda
e a garganta que grita

(e tudo já foi dito
mas já que existo
o sol pede
bato o tambor
um sonho agora)

O que eu quero é
dança de rua
nua e crua a gente
menos lero-lero

O que é belo
é a busca infinita
linda é a história
que nasce do novo

Afonso Lima

Nenhum comentário: