Páginas

sábado, setembro 19, 2015

rosto

- Ainda não consigo ver bem seu rosto. Você está numa mesa de bar.
O outro não responde. Ainda não tem um olhar.
- Você tem barba. Você fuma um cigarro. Passa uma criança com um balão. De onde você vem?
- Eu trabalho com túmulos.
- Que tipo de trabalho? Os cemitérios são cheios de pássaros? Você coloca as lápides? Você transfere os cadáveres?
- Eu fui educado naquela escola. A escola dos mortos. Muitos de nós compartilhavam os mesmos ideias. Muitos de nós achavam que eles eram culpados, culpados pelo capitalismo financeiro e pela crise. Nós não éramos apenas vítimas. Os colegas me ensinaram a tirar arte da pedra. Foi bom. Tínhamos muito trabalho.
- Olho para você. Por que ainda não vejo seu rosto?

Afonso Lima

Nenhum comentário: