Páginas

quarta-feira, dezembro 23, 2015

Meu irmão brasileiro

Venho por meio dessa dizer solidariedade a quem cava cava cava a dura realidade
De linhagem de viajantes, de parede de letrinhas, vem o marujo das entrelinhas
Ter os pés no chão, ser tão joão em Ipanema, a vida encontrava o poema
E você é um farol em tempos de obscuridade o que é esse Brasil que ninguém sabe
Amar ser herói na terra encantada onde você me fez brincar
Moleque, os pés n´areia branca, as trevas desaparecem quando o sol se levanta
Do tempo do ferro do tempo da esmola vive ainda a moçada da escória
Segue teu caminho amigo irmão que a curiosidade de como onde para quê é a nossa salvação

Afonso Lima


Nenhum comentário: