Páginas

sexta-feira, novembro 04, 2016

Meu companheiro

Uma pátria, a metáfora, obra que gera diálogo
Companheiro que evoca a companhia
Ensaios de vida, a parada transfigura
a cantiga da dor não esquecida
Eu me fortaleço, poderes de cura
Irmão, luz contra o medo feroz do evidente
Em um tempo em que é preciso seguir
e difícil

Meu companheiro
Num tempo em que nos querem condenados
a renunciar ao sonho da mudança
Dançamos tardes tantas
Eu, tão infiel e sempre teu
Tua voz na cama ou não
Tua magia, eu vejo o horizonte distante

Nas noites em claro preso
Contigo, outro mundo, analiso
a maldição do poder do discurso
Companheiro suave, navio seguro
Coro da história que alimenta
Outro texto e um renovar do tempo

Meu companheiro
Tenho de tomar posição em uma época
carregada de oposições, querem velocidade
Tenho de seguir um caminho e colocar tudo em seu lugar
e dizer algo, ainda que no erro

Afonso Lima




Nenhum comentário: