Páginas

quarta-feira, março 01, 2017

a lua

não pensem em barcos num horizonte cinzento
vamos competir para ver quem comeu mais sorvete e tem um carro maior
espero que as pessoas não pensem em escritores
pensem em liquidificadores, vestidos e decoração de sala
espero que as pessoas não façam poesia
poesia é marca, a marca da superioridade, autoconfiança
sem pesquisa pelo oceano, pelas dobras que a pele faz
pesquisa pela pergunta que pode nos libertar
nenhuma curiosidade pela coisa estranha da vida
espero que os miseráveis sejam um alerta para todos
os que quiserem coisas do espírito
para os que pensarem que podem questionar a vida
longos silêncios e andar em círculo até descobrir algo - não
as pessoas comuns como erros da natureza
a lua pode nos fazer descer até os labirintos ocultos
onde moram figuras, posições e, portanto, os significados
não vamos pensar - a liberdade vive não no supermercado
mas na alma capaz de pensar um mundo novo
todo um sistema repousa sobre o nojo que
um velho sujo deve despertar por pedir comida
um único caminho cheio de plástico e brilho e informação
vamos acabar com as dores da alma
e acabar com o adubo que faz crescer a flor
porque as flores nunca se repetem e quem ganha com elas afinal?
a lua pode ser explorada e os genes podem ser um produto
nada de pensar sem rumo, nada de músicas sem plano
nada de passado relembrado ou faróis de Alexandria
não pensem em amigos num jardim sem lucro
não pensem em cisnes num horizonte sem dinheiro
não pensem em barcos num horizonte cinzento

Afonso Lima

Nenhum comentário: