Páginas

quinta-feira, maio 18, 2006

Deyse da Injeção. O nome já parece algo absurdo.

E quanta dignidade! No Jô Soares vemos uma mulher inteligente, doce, que foi empregada doméstica, como sabemos, anos e anos ganhando aquela miséria (o salário mínimo, segundo o DIEESE, deveria ser 1.500 reais) e se matando de trabalhar. (De modo até irônico, o operador do áudio do Congresso que vazou para a cadeia disse: “eu não ganho bem...”)

Depois, com Marcio Garcia, ela fala que “as pessoas da comunidade até se afastam quando chega perto um carro ou coisa assim, pois a gente sabe do preconceito, que vão nos tirar pra bandido”... e ainda: “eu fazia melody (funk romântico) antes e ninguém me deu espaço; aí comecei a fazer duplo sentido e me abriram as portas”.

“Ta ardendo, ta entrando...”
De um lado as senhoras de meia-idade chocadas, de outro, a meninada adorando o clima “Daku é bom” das letras...

Os antropóloucos de plantão adoram dizer “mas é a cultura deles”. E quando se aparece na TV, se comenta: “que lindo, estão sendo incluídos”.

É um jogo duplo: os cidadãos estão confrontados com baixíssimos salários e com novas autoridades do emprego disponível (uma vez vi um apresentador dizendo “quem ama seus filhos, não faz isso...”, o olhar burgues, pois não há comida, mesmo!), e produzem algo com o que recebem. (O ritmo é maravilhoso) Vemos então os apresentadores de TV falando que “incentivam a comunidade”, vendendo esse funk.

Tudo bem. Mas adoraria ver Deyse, por circunstâncias, "da Injeção", escrevendo algo baseado em Madame Bovary. Como advogada. (Ou uma compreensão "de dentro"sobre a origem das cousas). É um conformismo moderninho: por que um pobre gostaria de ler? Não, “Daku é bom...”

Ajr

4 comentários:

Amanda disse...

Eh...lugar de pobre é na pobreza mesmo. Nada contra a putaria, mas já houve métodos menos agressivos de controle sobre os pobres. Minha filha não escutaria funk de jeito nenhu...

Anônimo disse...

Very pretty design! Keep up the good work. Thanks.
»

Anônimo disse...

Great site lots of usefull infomation here.
»

Anônimo disse...

I find some information here.