Páginas

domingo, janeiro 28, 2007

Casa de Cultura fechando?

Acabou um patrocínio, o Unibanco rapou: a arte depende disso...O que se pode dizer do iminente colapso do Cinema da Casa de Cultura Mário Quintana?
Foi lá que muitas boas experiências eu tive, o local representa um oásis na loucura urbana, na avalanche de imagens globalizadas. Um espaço de fôlego, reflexão.

Todas as capitais do mundo têm sua pequena câmara de salvar da opressão, opressão da mesmisse e do medo do mundo contemporâneo. Sem isso, que seria a vida? Nossa vida de asfalteiros vivos? A criatividade é o que as cidades têm de bom, ainda.

Porto Alegre, sem mar, sem mata, sem São Paulo, tem na força dos criadores sua salvação. E, sem um diferente que entra entre outras coisas pelo pensamento em telas grandes, acabamos morrendo por dentro. É uma vergonha que nossos empresários, políticos, intelectuais, pensem tão pouco na necessidade de vida a ponto de deixar acontecer algo como isso...

É uma pequena tragédia para a cidade. 4 mil pessoas já pediram ajuda, mas o Estado está em cortes de orçamento... Quem sabe se alguém toma para si essa responsabilidade?

A CINEMATECA PAULO AMORIMESTÁ EM BUSCA DE APOIO.COLABORE, DIVULGANDO A TODOS!Desde janeiro de 1996, a Cinemateca Paulo Amorim contou com a parceria do Instituto Moreira Salles – Espaço Unibanco de Cinema. O patrocínio, infelizmente, chega ao fim em dezembro de 2006. Sem esse apoio, fundamental para a manutenção das suas três salas, a Cinemateca corre o risco de fechar suas portas. Abaixo, o comunicado.

A ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DA CINEMATECA PAULO AMORIM ESTÁ EM CAMPANHA PARA SALVAR OS CINEMAS DA CASA DE CULTURA MARIO QUINTANA. LIDERADA POR LUIZ PIGHINI, DIRETOR E PROGRAMADOR DAS SALAS, A INICIATIVA VEM BUSCANDO O APOIO DO GOVERNO, IMPRENSA, EMPRESÁRIOS E DO PÚBLICO.

AGRADECEMOS A TODOS PELAS MANIFESTAÇÕES DE SOLIDARIEDADE E PARTICIPAÇÃO NESSA CAMPANHA, EM ESPECIAL À RBS E À ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DO CENTRO DE PORTO ALEGRE.NA BILHETERIA DA SALA EDUARDO HIRTZ, UM ABAIXO-ASSINADO PEDE AO NOVO GOVERNO ESTADUAL QUE GARANTA O FUTURO DA CINEMATECA. PARTICIPE!

PRIMEIRA COLABORADORA

Assistindo ao Jornal do Almoço, DENISE ARGEMI, especialista em Direito Internacional Público e Privado, sensibilizou-se com as dificuldades da Cinemateca Paulo Amorim e resolveu ajudar.De dezembro a abril, vai colaborar com R$ 1.000,00 (mil reais mensais), do próprio bolso, na tentativa de salvar as salas. É insuficiente em relação ao que a Cinemateca precisa para se manter funcionando (R$ 15 mil por mês), mas um gesto significativo, sobretudo por se tratar de uma iniciativa individual e de um exemplo de solidariedade e preocupação com a cultura do Estado.

Nenhum comentário: