Páginas

segunda-feira, julho 04, 2011

La máfia russa

Tudo começou há duas semanas - os começos tendem a ser lentos - quando minha professora deu um texto de Daniel Link, autor argentino, chamado "Fui um garoto de 8 anos" do livro "A máfia russa". Depois fui em uma palestra e ouvi de um inglês sobre "Mestre e Margarida", que comecei a ler. O tempo se acelerou: (fora o fato de eu estar num curso e conhecer uma pessoa que estuda Cortázar; na manhã seguinte uma amiga mostra o livro que está lendo -adivinha!- e outra quer que vejamos uma peça que acabou de ver baseada nesse livro! Eu leio um conto de Allan Poe e começo a ver o filme "Um bonde chamado desejo", quando a protagonista afirma nas primeiras falas: "Isto parece um conto de Poe"!) um professor conta sobre suas experiências na Rússia (adorou, principalmente as modelos disfarçadas de moças da limpeza), uma colega complementa (também adorou), na manhã seguinte, outra aula e uma amiga começa a contar as viagens para.... São Petersburgo! Então uma amiga, dois dias depois, manda um sms: "tem um programa bacana hj na bibl. s cult russa vc pode ir conosco?" Fui. Saí de lá com o frio da Sibéria.
Então, quando eu creio em bruxas, é empirismo.


Um comentário:

Mapie disse...

É o acaso objetivo dos surrealistas, o "objective perhaps". Mágico, não? :)