Páginas

sexta-feira, janeiro 18, 2013


Raízes

Nunca pensei a fronteira
Barrancas do Uruguai desvi
O pasto nostálgico na minha alma
É um uivo lento que herdei sem pedir

O pasto, o pasto lento
O sonho, o sonho escuro
E eu corro, guri-cavalo
Lendas, mortes, lamentos 
(e a grama cresce, boiosa
E a vida passa – o tempo)
Alguma coisa de mistério

Nenhum comentário: