Páginas

quinta-feira, julho 11, 2013

Frio 


As carruagens, barulho no Teatro
Lampiões em névoa densa
Londres está fria
as crianças deitam suas cabeças sujas
depois de horas de trabalho
A mulher da noite dorme sobre um chão frio
Choveu muito ontem
Ela se cobre com panos azuis e verdes
Ela esconde seu rosto com uma
sombrinha chinesa rasgada
Pingos gélidos
E as coisas que sonhamos
e as coisas que sabíamos, somem
E tudo tem uma história
um passado escondido
de um eu cavaleiro solitário
e tudo ao redor torna-se impalpável

cidadã de segunda classe
Escondida na noite silenciosa

Nenhum comentário: