Páginas

domingo, maio 18, 2014

O romance

"O sol trazia à sua alma a dor de sentimentos complexos, a grandiosidade e o mistério da neve mergulhada em silêncio", eu começo. Quando fui para o norte da África finalizar minha dissertação tinha como objetivos o isolamento, claro, e também estar no ambiente onde o "Teoria do romance" foi escrito. De modo algum sua vida pessoal me interessava, mas era inevitável pensar nisso caminhando por mercados e observando dunas na luz alaranjada. Meu interesse surgira na medida em que eu, jornalista, mau poeta, havia tido notícia de que um de seus livros começara a partir de recortes de jornais, descritos em seu diário. 

Eu ouvia a estranha música árabe no terraço da minha casa e, claro, pensava no personagem do jovem Hans, que vinha ao Marrocos acompanhar o famoso cineasta Jean Cochin despertando ciúme no autor, personagem central do seu livro, que o acompanha com a desculpa de buscar vinhos raros. E, de fato, o seu namorado cineasta fez um filme com um cineasta famoso. Minha pesquisa não avançava. Constantemente queria vasculhar os lugares mencionados pelo autor, passei a caçar pessoas que conviveram com ele, queria ter os diversos pontos-de-vista sobre a história filmada. Um livreiro contou-me que o livro foi escrito quando o escritor encontrou seu jovem amigo lendo seu diário sobre suas aventuras amorosas na juventude no norte da África. Um comerciante inglês, importador de vinho, contou-me a lenda segundo a qual o jovem passara a buscar o primeiro amor do autor, tendo ele mesmo o traído por ciúmes. 

O jovem Hans, justamente, começa a perseguir os pontos nos quais o autor havia vivido sua paixão - "monstruoso mistério" - e decide escrever um texto intitulado "Teoria do romance" para falar da dificuldade em encontrar a verdade. Ele também encontra, por acaso, o primeiro amor do escritor, o que faz com que o cineasta use o tema no roteiro, que fazem juntos. Por fim, eu mesmo me apaixonei, "o terror piedoso frente ao que tem grandiosidade e silêncio". Vivendo na incerteza, ciumento, abandonei a África e meu jovem amigo, voltei ao Brasil e me dediquei a importação de vinhos e a escrever esse romance. 

Afonso LIma

Nenhum comentário: