Páginas

sexta-feira, setembro 19, 2014

Verde

Uma canção para o verde que é
A parte que diz que as coisas
São o que são
Invejo os que podiam matar a metafísica
Desconfio da realidade
O olhar puro sem pensar
Queremos escapar
A serpente invisível
Mais poderosa
(Sem Paulo ou conflito
Sem contradição)
Nosso querer sempre erra
Da qualidade das nuvens
Com força pelos vales
Deixando tudo que não é
Surge um fruto novo e único
Meu irmão
É preciso cometer loucuras
Talvez a saída seja
Desaprender em conjunto


Afonso Lima

Nenhum comentário: