Páginas

segunda-feira, julho 13, 2015

marinheiro

teu corpo ficou comigo
como ficou com o poeta
um marinheiro triste
a onda viril de afeto
ah! a gente corria pela Paulista
de mãos dadas, vimos o bonde passar
entre prédios podres e oscar wilde
os brancos lençóis e teus caracóis
lá embaixo, os barcos que vimos
nos olhos um do outro
o tempo tropicalista
o sonho refresca
a testa da besta
pastores cavalos pastando
nos montes um do outro
ah! as ondas da praia
do momento na boca a macumba
eu lembro
como ficou com o poeta
um marinheiro triste

Afonso Lima

Nenhum comentário: