Páginas

sábado, julho 25, 2015

vida animada: um poema de amor

Eu penso sempre nessa
nossa prosa
complicada
que não dá mais

Você me escalava a varanda
enquanto hoje eu acho
que tanto faz

Não sabemos o que é
a nossa aposta
não tem resposta
pra onde mais?

Porque o mundo é de ferro
a treva tanta
de você eu quero
um pouco de paz

[vida de borboletas animadas na marina
também temos nossos segredos
que a verdade é dita pela louca poesia
nada se confirma do que seria dado coisa pura
na simplicidade reta eu ponho desafio de relva o simples livre
boleros de feras na ilha da fantasia]

se você me achar
fica um a um
minha insensatez
só um lugar comum

Você ia até me
dar o Taj Mahal
escrevendo torto
o poema vai mal

Vem me encontrar
em lugar nenhum
era uma vez
a gente era um

Não é só você
eu perdi algo em mim
eu quero o mundo
essa novela é ruim

Afonso Lima

Nenhum comentário: