Páginas

terça-feira, fevereiro 16, 2016

Um brinde

Quando a amiga Carla observou Julio com sua casaca nova (e justa) de casamento, disse:
- Você rejuvenesceu 10 anos.
- Por que as pessoas continuam fazendo isso, se tudo agora dura 2 anos?
- Qual o motivo que teriam para trabalhar 12 horas por dia se não gastassem com alguma bobagem?

Lucas e Mauro estava cumprindo à risca o protocolo: a banda ruim tocando clássicos, mulheres em dourado e brilho em pleno dia, damas de honra em formato de bolo - exceto pelo padre. Ele fora suspenso há um mês por casar duas drag queens.

Sentara ao lado de um jovem atraente, Roberto, que estudava Economia. Então era isso que acontecia quando não se tinha Ciências Humanas.
Klim, klin, klin. 
- Eu sei que ninguém faz discursos em casamento no Brasil. Mas nós vimos séries americanas demais - disse o padrinho.
E decidiu ler um longo poema que ele mesmo escreveu sobre Vênus e Adônis. 
- Sobre que é seu romance - Roberto perguntou.
- Bem, talvez seja apenas um conto. Um escritor que, sempre que volta pra casa percebe na sua máquina de escrever um texto pronto. Por fim ele pensa que o texto é escrito pela máquina quando ele não está. 
- Ele é pobre? Quer dizer, por que não usa um computador. Ah, entendi, é tipo uma viagem no tempo para uma era antiga...
Crepúsculo, o bolo, as pessoas já bêbadas e a despedida dos noivos.
- Eu acho o Gandalf muito mais interessante que Dumbledore - disse Roberto.
- Você pegaria uma outra bebida só pra eu poder ir embora?

Carla disse no carro:
- Assim você jamais vai casar. É simplesmente injusto que vocês homens não tenham tido a oportunidade histórica de casar com babacas e morrer de tédio a vida toda. 
- Quem sabe nós nos encontraremos um dia, de surpresa, numa galeria de arte. Ele me convida para passar uns dias na casa de praia dos pais, eu vou, nos conhecemos melhor e descubro que ele não é um fascista em formação, mas um sujeito complexo, cheio de vida e boas intenções. Depois disso fazemos amor sem parar e compramos uma casa. Decidimos pagar uma festa e chamamos o padre das drag queens, e você pode fazer um discurso ainda pior do que o que ouvimos. 
- É melhor voltar à máquina de escrever que escreve sozinha.

A lua cheia parecia pequena em meio às luzes da cidade. 

Afonso Lima


Nenhum comentário: