Páginas

sexta-feira, dezembro 30, 2016

O Mapa

Riscos da cidade
Examino a ponte em obras
A anatomia de uma lembrança
Meu corpo na escuridão

Das ruas talvez bucólicas
Das ondas de cor de Porto Alegre
Casas coloridas e cafés

Palmeiras amarelas
Esquinas à venda
Nuvens espetadas no aço do morro
Moço bonito, antigos amores
Ruas bordadas de verde
Encantada cidade a cada dia perdida

Eu vivo o tempo do silêncio
Não há dúvidas no sistema
No aquário, mão-de-obra gratuita
E mesmo assim nós na loja indiana
Comendo yakissoba sabor chile

Amplas avenidas o vento da madrugada
Tantos fantasmas do crime político
A poesia do teatro com goteiras

Cidade de meu andar
A saudade é heroica 
Cidade imaginada a criar
A memória é progresso
Cidade à espera de esperança


Afonso Lima

Nenhum comentário: