Páginas

quarta-feira, janeiro 25, 2017

Movimento TempoEspaxo.

O Tempo entrevista Bolañi para a TV.
- Por que você diz que essa história lhe marcou? Os poetas foram devorados?
- Revoltas de rua, barcos com trigo atacados, caminhões parados, Congresso paralisado para que se criasse uma crise que chamasse intervenção militar. Milhares de voluntários se oferecem para distribuir comida e dirigir caminhões. Enquanto isso um professor solitário escreve uma ficção científica em sua casa de madeira na qual paira um quadro de Ramón Gómez da Serna, pioneiro da vanguarda espanhola.
Na história, um homem surdo que vive em uma colônia com cinco tripulantes em Vênus se apaixona por um ser abstrato chamado Música. (Surgiriam teorias de que uma leitura hermética revelaria "casualidades", "símbolos" e "profecias"). Ele criara o Movimento solitário TempoEspaxo. Só conseguem fazer amor quando, insone, olhando a lua cheia que cai em sua cama, ouve a voz de Calipso dessa deusa e começa a dançar. Seus colegas planejaram seu assassinato, imaginando estar louco. Música o avisa e ele desce até uma gruta na qual seres de luz comem sua estrutura, transformando-o em som.
- Por que você diz que essa história parece importante?
- O professor solitário se tornou um filósofo do regime. 

Afonso Lima 

Nenhum comentário: