Páginas

domingo, fevereiro 05, 2017

vende-se

meu tempo não é de rima
bacaninha
minha letra no tempo
do corte
o prefeito dinheiro
quer novo ritmo
já era
amor estrela e poesia
era de nada de graça e cinza
minha letra é pura gasolina

o buraco tá mais fundo
o prefeito mais na foto
o veneno mais na água
fura a mentira
lavada na alma

meu tempo não é de mãos dadas
minha letra no tempo do mando
pele ouro língua ouro
verde ouro morte ouro
o poema calcula
era sem rima
gasolina


Afonso Lima

Nenhum comentário: