Páginas

sábado, outubro 21, 2017

Uma nova paz universal

Estou deixando aqui o começo.
A humanidade é a melhor máquina.
Eles chegaram num dia de primavera, foram recebidos com flores.
Os chefes de governo fizeram discursos.
Eles convidaram a todos para uma recepção.
Nunca mais se ouviu falar deles.
Os novos líderes buscaram parcerias.
Começaram campanhas pela TV e celulares: "Uma nova paz universal"; "Prosperidade com trabalho"; "A nova vida da humanidade".
A cidade grande ficou por algum tempo livre dos toques de recolher e dos estupros.
Logo, as casas foram ocupadas por eles, nós fomos transferidos para regiões ermas.
Livros e tecnologia foram proibidos.
Os homens saudáveis eram recolhidos e levados a campos de trabalho.
Em cinco meses, a humanidade havia sido reduzida à animais de tração.
Idosos e fracos foram transformados em adubo.
Eles explodiam porções gigantescas de terra, extraindo dela o que precisavam no seu planeta.
Nunca antes eu havia imaginado o quão rápido você se torna um objeto se é tratado como um objeto.
Comemos uma espécie de ração, muitos morrem por intoxicação alimentar.
Aos humanos do futuro deixo essas palavras.
Lutem, se puderem, pela liberdade.

Afonso Junior Ferreira de Lima


Nenhum comentário: