Páginas

sexta-feira, junho 24, 2011

Absurdo: onde estão os órgãos do patrimônio?


Folha- São Paulo, sábado, 11 de junho de 2011


Av. Paulista perde casarão e ganha mais um prédio

Imóvel branco arredondado fica ao lado da Casa das Rosas, que é tombada

Construtora Even pretende erguer no local docasarão um prédio de escritórios
com 11 andares e 5 subsolos


VANESSA CORREA
DE SÃO PAULO

Em breve, mais um casarão cederá espaço a outro prédio
de escritórios na avenida Paulista.
Ao lado da Casa das Rosas, a casa branca de fachada
arredondada é hoje alugada pela seguradora Porto Seguro,
que tem escritório ali.

No lugar dela, a construtora Even pretende erguer
um prédio de escritórios com 11 andares e cinco subsolos.
Como a Casa das Rosas é um bem
tombado pelo município, intervenções em imóveis próximos
devem ser aprovadas pelo Condephaat
e Conpresp, os órgãos do patrimônio histórico
estadual e municipal, respectivamente.

Ontem, o Condephaat publicou no "Diário Oficial" do
Estado o aval para a demolição da casa. Segundo a Even,
a autorização do Conpresp também já foi obtida.
"Quase todos os exemplos de ocupação da Paulista se foram.
Os que existem deveriam ser preservados, mesmo que não
tenham um valor arquitetônico muito grande", diz a
arquiteta urbanista Lucila Lacreta, do movimento Defenda
São Paulo.

Para Benedito Lima de Toledo, professor-titular da FAU-USP,
o prédio pode prejudicar a visibilidade da Casa das Rosas.
De acordo com o Condephaat, como o prédio terá 18 metros
de recuo da calçada, a visibilidade da Casa das Rosas
não será afetada.

Não se sabe ao certo quando o casarão foi construído.
A certidão de dados cadastrais do imóvel na prefeitura diz
que a obra é de 1994. Mas uma imagem antiga, obtida por
Gabriel Rostey, da associação Preserva SP, mostra o
imóvel em 1952, quando as casas dos antigos barões
de café ainda dominavam.

Nenhum comentário: