Páginas

terça-feira, janeiro 21, 2014

Salpêtrière

Dois homens fumam no pátio.
- Viena. Bela cidade.
- O que achou da demonstração de hoje?
- Uma pena a transferência da paralisia não ter ido de uma perna à outra. Uma vergonha ser na frente de Delboeuf e Taine. O importante é que mostram que há em nós outra coisa além da vontade.
- E você já publicou alguma coisa?
- Não. Meu padrinho me proibiu de publicar os primeiros resultados, além de me exigir que escreva ininterruptamente. Meu tio, morto em 1848, era amigo íntimo de Flaubert.
- Interessante. Gosto muito de literatura.
- Aos poucos os livros heroicos e cheios de duendes nos parecem ridículos! Todo fenômeno têm uma lei natural. Mas nos fica uma tristeza por não haver mais Invisível.
- O estranho está em nós. As forças da natureza vão além do que podemos ver e imaginar. Essa derrota trágica acabou com as ilusões.
- Vamos, doutor, Charcot já deve estar começando. Agora é hipnotismo.
- Vou me manter informado sobre o senhor, sr. Maupassant. Entremos.

Afonso Lima

Nenhum comentário: