Páginas

domingo, março 16, 2014

O Silêncio

Aliados estrangeiros exigem a liberação de templos protestantes, proibidos no Brasil. O rei indisposto, reprimendas do núncio apostólico, que o ameaça de excomunhão. Criado por padres, depressivo, sempre sujo, amigo do canto gregoriano e das missas. Seu camareiro, alguns dizem, seu amante, o leva até um jesuíta misterioso nos arredores da capital. O homem vivia sozinho com seu criado numa propriedade da Companhia cercada pela Mata Atlântica. Foram para a capela, abriu uma parede secreta, que revelou uma cela forrada de ícones da Virgem e da Trindade. Ele lhe entregou uma carta escrita por um teólogo e cientista  jesuíta romano: "Este documento que descobri fala dos cristãos que viveram no começo. Os judeus falam da Torá existindo antes da Criação e os gregos pensavam na relação entre Um e Muitos. YaHoWe, o Supremo, o Pai Primordial, o Silêncio, diziam os seguidores dos Atos de João. Dizem eles que o Pai sempre teve ao seu lado Sabedoria. Um dia, expeliu emanações de Macho e Fêmea, o Casal Um, que criaram o mundo. Nos Atos de João, o amado discípulo vê o Mestre orando numa rocha e se aproxima. Quando chega perto, tem uma visão de um gigante, seus pés com uma luz que cobre a terra e sua cabeça tocando os céus. Quando se vira, Cristo diz: Tudo é Imagem de Deus, a pérola da alma; um banquete serve a Trindade e nos convida. Nem pagar os pecados nem suplicar que o Pai nos salve a seita prega. Em outra cena Jesus dança em roda com os discípulos. Os bispos chamaram esses cristãos de intérpretes malignos. A visão de Irineu foi aceita como a correta. Hoje grandes padres estudam a astrologia natural e profecias. Quem pode saber a verdade sobre a Natureza e a Fonte? Disse um cientista: Se você quer desvendar os segredos do Universo pense em termos de energia e vibração". O rei sai desorientado. Dias depois, os templos são liberados. 

Afonso Lima

Nenhum comentário: