Páginas

segunda-feira, junho 29, 2015

Filhos do Sol

A festa na rua, eu não sigo sua regra
desvia o átomo, luz do céu
papagaios gritam, sinos,
rebeldes, opacos, imprevisíveis
quem me conhece é um poeta da natureza
complexo acaso, em busca de uma verdade
temos alguns sinais, tentar desvendar
outros, dentro do filme escrito para nós
não somos ajudados pelo meio
e, mesmo assim, queremos um heroísmo
algo novo, mitologias, alma de peixe
e sapatos que nos liguem à terra
os bosques, crianças sorrindo
não merecemos ser explicados
somos vento, fogo, correr de águas, flores
das tempestades, fugindo, dançando
anjos travestis e matéria divina
e mesmo para a noite acharemos um nome

Afonso Lima

Nenhum comentário: