Páginas

domingo, abril 24, 2016

desobedeça

desobedeça
espadas mentiras mensageiro fatal
desobedeça
não acredite o que foi escrito
pode ser reescrito grite
a cidade e sua opacidade
desobedeça
flores no cinza caminhos em paz
silêncio lembrança
o espelho e sua imagem
não é verdade é desfazer o feito da coisa
uma criança e um tempo
do saber do corpo
a imaginação de mata seca e fogo
harpa no mar
montando golfinhos
aquele que foge do destino
fragilidade
na tempestade os ossos armados
não sou poeta de bem e de mal
tenho raízes e sinto na pele o inseto na árvore africana
o vento que leva
para terra ainda não existida
amar o que vem à praia
gente é coisa de novidade
desobedeça as palavras
os amores as luas adocicadas
silêncio lembrança
desobedeça a certeza o ódio
produção de cabeça
harpa no alto do edifício
descrença de vida seca
a lua no céu uma canção
amor de amar pedra de areia e fogo de ar
meu ser de peixe canta a noite de não ver
desobedeça

Afonso Lima

Nenhum comentário: