Páginas

quinta-feira, agosto 18, 2016

o valor da vida

Algo em nós se descostura
perfura e não perdoa
algo em nós ferrugem e morde
o valor da vida

algo de verde ascende
o branco da folha
a linha frágil
celebro em negro

a mãe ferida
a mão faminta
a pele seca
o pranto mudo

a lei impune
acostuma o todo
à luta fria
ao desconsolo

limpar o corpo
amassar o pão
cada coisa mínima
o valor da vida

Afonso Lima

Nenhum comentário: