Páginas

domingo, março 19, 2017

Escolhas

Andava pelo aeroporto e parou na livraria. "Economia Socialista de Mercado". Tinha uma semana para ler aquilo. Timor, Filipinas e Birmânia vinham em seguida. Vivia cada semana de uma vez.
A moça que o atendeu, de pele muito branca e olhos verdes orientais, lhe pareceu familiar. Abriu seu 102 e tentou discretamente ver o código dela no crachá. Eles tinham feito amor, estava na sua lista.
Ele realmente tinha a impressão de ter passado por ali antes. Aproveitou para conferir o clima lá fora.

Andava pelo aeroporto e parou no café.
- Frapê de café cubano, por favor - ele abriu a mochila e achou "Economia Socialista de Mercado". Mais um livro que não conseguira ler. Abriu seu 102 e procurou quantos frapês de café cubano havia tomado naquele mês. Talvez fosse a hora de tentar o de morango, estimular o cérebro. Foi conferir o clima lá fora.
Uma moça de pele muito branca e olhos verdes passou e sentou na mesa ao lado. Ele sentiu alguma coisa. Ela pediu um frapê de morango e abriu seu tog. Era um 103, droga.
Tentou discretamente ver o código dela no crachá. Não conseguiu.

Tinha uma semana para ler aquilo. "Economia Socialista de Mercado". O aeroporto da Birmânia parecia familiar. Resolveu procurar na sua lista. Seu 102 estava esquisito. Estava difícil dar sentido àquilo tudo.

A verdade é que, depois que criaram o sistema de armazenamento externo, as pessoas pararam com as brigas inúteis, discussões filosóficas e fantasias sem sentido. Mas era um pouco complicado controlar o tempo. Algumas vezes fantasiava estar desembarcando no futuro ou no passado. Observar seu número na coluna onde suas cinzas seriam armazenadas depois de descontinuado. E se cada segunda-feira estivesse mesmo num lugar-tempo? Mas podia ter lido isso em algum lugar. Por sorte, tinha um dos melhores equipamentos de reanimação diária.

A moça que o atendeu lhe pareceu familiar. Enquanto esperava na fila, abriu o aplicativo para conferir o clima. Ele realmente tinha a impressão de ter passado por ali antes. Alguma coisa estava muito errada. Vivia cada semana de uma vez. Parou no café e pediu um frapê de morango.

Afonso Junior Ferreira de Lima


Nenhum comentário: